domingo, 22 de fevereiro de 2015

O calendário – dos egípcios aos romanos - no dia 12 de fevereiro de 2015

7 – O calendário – dos egípcios aos romanos - 
no dia 12 de fevereiro de 2015
O professor José Madruga esteve connosco no dia 12 para nos falar do tempo e do calendário, nas aulas de História e de Português.
O ponto de partida foi o objeto de estudo da História: as ações dos homens no tempo. 
Depois, com o auxílio de muitas imagens que nos mostrou num power point, explicou-nos e mostrou-nos as unidades de medida do tempo que permitem situar essas ações.








 





Depois de vermos e participarmos nas explicações e nas leituras dos vários calendários, fizemos uma ficha de aplicação daquilo que aprendemos.
  





























    

Deixamos aqui algumas linhas das apreciações que fizemos depois:

Eu gostei da apresentação, que foi engraçada e criativa, pois os slides tinham quase só imagens e o Sr José sabia tudo e explicou-nos. Observei que mesmo os humanos do Paleolítico já contavam o tempo.
Pedro

Achei interessante! Foi uma aula diferente onde aprendi coisas novas. Foram 90 minutos agradáveis, em que tudo foi bem explicado e bem apresentado.
Ana Sofia

Foi uma formação sobre o tempo muito bem apresentada e muito original. Gostei muito!
João

A sessão de formação sobre o tempo e a História foi muito interessante e esclarecedora. Permitiu-nos saber como os povos mais antigos organizavam o tempo e como faziam as suas contagens próprias.
Diogo

Eu gostei muito! Foi incrível aprender como outros povos de outras regiões e de outras religiões contam o tempo. Gostei particularmente de saber como os egípcios contam os dias.
Sofia

Aprendi que tenho quase 200 meses; gostei de saber isso!
Diogo

Eu achei a aula muito interessante! Aprendi como as diferentes pessoas viam e contavam o tempo há muitos anos atrás. Aprendi como criaram os calendários lunares e solares.
Samuel

Eu gostei muito de aprender a ler os diferentes calendários. Foi muito bom descobrir coisas novas e aprendê-las e comunicar entre nós acerca das questões apresentadas. Foi muito divertido! Agradeço por esta atividade!
Inês

Acho incrível como os homens há tanto tempo atrás conseguiam fazer calendários lunares e solares, porque me pareceu bastante difícil.
Mariana

Gostei da atividade, que foi muito criativa, porque fiquei a conhecer coisas que nem sequer sabia que existiam e nem nunca tinha ouvido falar delas. Foi uma atividade muito produtiva.
João

Foi muito interessante porque aprendi coisas novas sobre o tempo, como por exemplo que cada civilização conta o tempo de maneira diferente conforme a sua cultura.
Margarida

Gostei desta atividade pois com ela aprendi muitas coisas sobre os povos antigos e acerca dos seus calendários. Aprendi que antes dos calendários de hoje houve outras formas de fazer os calendários. E aprendi-o porque o power point era muito engraçado e foi muito bem apresentado. E gostei da ficha que fizemos para vermos o que tínhamos aprendido.
Tamara

Aprendi que os egípcios, os gregos e os romanos tinham outra maneira de contar o tempo que não era igual à que usamos hoje em dia. Aprendi como é que faziam os seus calendários. E gostei da maneira do professor nos explicar tudo isso e da forma como falou connosco.
Micaela


domingo, 8 de fevereiro de 2015

No dia do patrono

6 – No dia do patrono

No dia 23 de janeiro de 2015, entre muitas outras atividades de comemoração do dia do patrono, realizou-se um campeonato feminino de futsal. A equipa do 7º A sagrou-se campeã!

Na aula de História, como os vencedores dos jogos olímpicos gregos, as campeãs foram premiadas com uma coroa de folhas de loureiro, colocada na cabeça da capitã!
Ficámos muito contentes!!!!!!































O Clube Sénior veio à escola no dia 29 de janeiro

5 - Clube Sénior veio à escola no dia 29 de janeiro

A Câmara Municipal de Torres Vedras, com o Projeto Clube Sénior trouxe à escola a atividade: Reis Rainhas, histórias e memórias – baseada no livro, escrito por Carlos Guardado da Silva e ilustrado por Daniel Silvestre da Silva Um país silencioso.



















Sinopse:     
Como tantos jovens da sua idade, Corbeau alistou-se nos exércitos de Napoleão e, aos 30 anos, integrou o Exército de Portugal, comandado por André Massena, com a missão de invadir de novo o reino luso. Atravessou os Pirinéus sob a chefia de Clausel, com quem partilhava a terra natal – Mirepoix – um pequeno burgo ao Sul da França, e a amizade cimentada em palcos da guerra. Corbeau chegou às Linhas de Torres Vedras, a 12 de Outubro de 1810, tendo conhecido, na igreja da pequena aldeia de Matacães, uma jovem de nome Maria, por quem se apaixonou. Maria tornara se a sua amiga, confidente e enfermeira, mas também a sua eterna lembrança…
  
Estas são algumas das imagens da apresentação encenada do livro:
   
 


  

  

   
























E estas são algumas das apreciações que fizemos na aula de História:

Admirei imenso a determinação que os idosos tiveram para fazer a história, e senti uma imensa alegria pelo que fizeram.
Diogo

Adorei ver aquelas pessoas com uma idade mais avançada a fazerem um “mini- teatro”. Fiquei impressionada com o espetáculo, e pensei que nós, se calhar, não conseguíamos fazer melhor. Fiquei maravilhada.
Sofia

Vi um grupo de idosos que trabalharam imenso para nos mostrarem como as pessoas se sentiram no tempo da guerra.
Senti-me especial e curioso por estar com pessoas muito mais velhas do que eu a mostrar-me o seu trabalho e a importância das invasões francesas.
Aprendi que não foram só os portugueses quem sofreu nesta guerra, os franceses também sofreram muito. Aprendi que não podemos odiar os franceses só por causa desta guerra.
Samuel

O livro “Um país silencioso” foi muito bem retratado.
Sofia

Gostei muito! Não esperava uma sessão tão bonita!
Inês

Senti como se estivesse presente naquele tempo. Abri o coração e senti as palavras; em tudo o que as pessoas diziam era como se os meus costumes mudassem de repente.
Daniel

Gostei de ver a forma como os senhores e as senhoras do Clube Sénior se empenharam, com uma grande força de vontade na representação de todas as personagens daquela história. Provaram a sua grande vontade de viver a vida e mostraram que o conseguem fazer de uma das melhores maneiras possíveis para o fazer: representar.
Diogo

A parte de que eu gostei mais foi quando o soldado francês encontrou a Maria.
Marta

Gostei quando o senhor se deitou no chão e fingiu que estava a morrer. Senti uma grande alegria porque o que foi feito não é fácil e é preciso muito trabalho e dedicação e, como referiu a Marta, tiveram apenas três meses para preparar a peça toda.
Pedro

Senti curiosidade por perceber como é que os senhores (as) conseguiram decorar as falas. E admirei, a vontade que mostraram em fazer este tipo de espetáculos; e este foi muito bom.
Mariana

Admirei muito o facto de estes senhores com tanta idade conseguirem ser mais originais do que alguns de nós. E fiquei interessada em conhecer o livro e lê-lo.
Vera

Aprendi que o exército francês prometia proteção aos portugueses mas não cumpria – era “proteção à francesa”.
Micaela

Os idosos fizeram um grande trabalho para a apresentação, que foi muito interessante pois relatou o livro muito bem.
João

Achei a atividade muito interessante. Vi que nas invasões francesas as pessoas passaram muitas dificuldades, quer as portuguesas quer as francesas.
José

Achei muito giro! Os senhores representaram e fizeram tudo o que foi preciso para a apresentação, e conseguiram também contar a história e passar os sentimentos que se viveram. Por mim, podiam voltar mais vezes!
Isadora

Gostei muito e fiquei admirado como aquelas pessoas conseguiram fazer coisas tão belas e engraçadas, e fazer uma excelente representação.

Bernardo

sábado, 17 de janeiro de 2015

Corta-mato no dia 14 de janeiro de 2015

4 - Corta-mato no dia 14 de janeiro de 2015

Cento e cinquenta alunos da nossa escola participaram no corta-mato escolar no parque verde da Várzea. Entre eles, estivemos nós os quatro do 7ºA, acompanhados da professora de Educação Física. A professora disse que todos estivemos muito bem nos resultados mas sobretudo nas atitudes, que classificou com 5 estrelas. Ficámos muito contentes!!!!!!


  
 De que cor?

De que cor é a alegria?

    Azul como um céu de aguarela.  
João Pedro Mésseder






domingo, 4 de janeiro de 2015

O Presépio

3 – O Presépio
Na disciplina de “Ateliê de Criatividade” fizemos um presépio, que montámos no final do 1º período na entrada da escola.
Alguns de nós, e o presépio, ainda na fase da montagem.

















Depois de pronto ficou muito bonito
 





















E fizemos uma árvore de natal, na aula de Língua Portuguesa, com sonhos nas estrelas.